Ostomia – Entende-se por ostomia, a derivação de uma víscera para a superfície da pele num local diferente do orifício natural de excreção (ex.: parede abdominal). Assim, é criado por meio cirúrgico um novo trajecto para saída de fezes (ostomia intestinal) e/ou urina (ostomia urinária).

Existem vários tipos de ostomias:

- As digestivas designam-se por colostomia e íleostomia.

- A urinária designa-se por urostomia.

É chamada de colostomia a exteriorização do cólon (intestino grosso) através da parede abdominal por uma abertura na pele designada por estoma. Quando é criado cirurgicamente um novo trajecto apartir do intestino delgado para a parede abdominal, esta intervenção designa-se por ileostomia.

A urostomia refere-se à colocação de um estoma para saída de urina.


Que sacos escolher?

Existem no mercado vários tipos de sacos adaptados às diversas necessidades e tamanhos dos estomas. Procure um profissional de saúde (enfermeiro ou médico), para que o ajude a escolher a melhor solução.

Os sacos são normalmente constituídos por:

- Uma peça – Dispositivo constituído por saco e placa (que irá fazer a aderência à pele).

- Duas peças – Dispositivos em que a placa pode permanecer vários dias ( dispositivo que irá fazer a aderência à pele), sendo só substituído o saco, ou seja, o saco e a placa encontram-se separados.

O saco de íleostomia é normalmente aberto por baixo. Neste tipo de ostomia as fezes têm uma consistência mais líquida, pelo que a abertura facilita o esvaziamento do saco. O encerramento do saco, por sua vez realizado com um “clamp” (dispositivo tipo mola).

Os sacos fechados são normalmente utilizados para colostomias descendentes e sigmoides, uma vez que as fezes são mais duras.


Quando mudar o saco?

No mercado existem vários tipos de produtos, procure informações relativas à durabilidade no produto ou informe-se junto de um profissional de saúde (enfermeiro ou médico).

A substituição do saco deverá ser realizada preferencialmente à hora do banho, sendo mais fácil descolar o adesivo da placa que se encontra aderente a pele da pessoa.


Que cuidados se deve ter com o estoma?

- A observação do estoma é muito importante. Observar a cor (deverá ser vermelho vivo), o brilho, a presença de muco, o tamanho e a forma. No caso de qualquer dúvida ou alteração anormal contacte um profissional de saúde (enfermeiro ou médico).

- Devido à fragilidade dos tecidos, a limpeza do estoma deverá ser efectuada de forma delicada. Não é aconselhável esfregá-lo.


Que cuidados a ter com a pele em redor do estoma?

- Lavar com água, sabão neutro e compressas sem o esfregar com força.

- Os pelos à volta do estoma não devem ser rapados mas sim cortados cuidadosamente com uma tesoura.

- Secar a zona circundante ao estoma com compressas sem fazer atrito, ou seja, efectuar “pequenas pancadinhas” em vez de o esfregar. Desta forma evitam-se lesões na pele.

- O aparecimento de pequenos pontos sangrantes poderá ocorrer durante a limpeza e secagem, não devendo ser normalmente motivo de grande preocupação. No entanto, se verificar que a hemorragia persiste ou se verificar algo de anormal no estoma (ex.:características da pele), contacte um profissional de saúde (enfermeiro ou médico).

- Não utilizar éter, álcool, ou outras substâncias agressivas à pele, pois poderão secá-la, feri-la ou mesmo causar uma reacção alérgica.

- Utilizar para proteger a pele em redor do estoma um produto protector não irritante tipo spray (ex.: Cavilon) ou clara de ovo, esperar um pouco para secar e colocar a placa adesiva. Informe-se junto de um profissional de saúde (enfermeiro ou médico) do produto mais adequado.


Como trocar um saco de uma peça?

- Retirar cuidadosamente o saco de forma a não traumatizar a pele. Utilizar uma compressa embebida em água morna e molhar o adesivo da placa de forma a facilitar a sua remoção. Procure executar remoção do saco durante o banho para que seja facilitada.

- Remover o adesivo de cima para baixo para evitar a saída de fezes.

- Deitar o saco para o lixo.

- Retirar cuidadosamente os fezes que se encontram sobre o estoma, utilizando por exemplo uma compressa. Evitar esfregar muito a zona.

- Lavar cuidadosamente a pele na zona circundante ao estoma com compressas sem fazer atrito. Secar a pele com pequenas “pancadinhas” em vez de esfregar.

- Cortar a placa de acordo com o diâmetro do estoma.


Que diâmetro de abertura fazer na placa?

- O estoma numa fase recente à cirurgia encontra-se edemaciado (inchado), sendo por isso necessário ajustar o diâmetro da placa relativamente ao estoma. Com uma régua medir o diâmetro do estoma.

- Cortar a placa com uma tesoura, que deverá ter um diâmetro de abertura igual ao do estoma acrescido de 2 a 5 mm. A placa não deverá ficar colada sobre o estoma e o diâmetro da placa não deverá estar muito afastada do estoma (para que os tecidos na área circundante a este não sejam lesados).

- À medida que o edema (inchaço) do estoma vai diminuindo, também o diâmetro do corte na placa deve diminuir.

O corte na placa deverá ser realizado antes do procedimento que se segue.


PROCEDIMENTO: COLOCAR O SACO DE OSTOMIA DE UMA PEÇA


- Retirar o papel da região autocolante da placa.

- Verificar se o protector cutâneo não irritante (ex.: Cavilon) anteriormente aplicado se encontra seco.

- Colocar a bolsa de baixo para cima, devendo o saco ficar orientado no sentido da gravidade (fundo do saco virado para baixo).

- Adaptar a placa autocolante à região em volta do estoma de forma a que a placa não fique colada a este.

- Certificar se a placa fica bem adaptada a pele.

- Retirar o ar do saco

- Fechar o “clamp”, conforme instruções do fabricante.


PROCEDIMENTO: SUBSTITUIR UM SACO DE OSTOMIA DE DUAS PEÇA

- Esvaziar completamente o saco se este tiver um “clamp”,.

- Desconectar o saco da placa que se encontra colada ao corpo, conforme as instruções do fabricante.

- Se presença de fezes aderentes ao estoma removê-las cuidadosamente.

- Retirar cuidadosamente a placa, preferencialmente durante o banho. Pressione suavemente a pele com os dedos de uma mão à medida que vai retirando o adesivo, com a outra.

- Lavar cuidadosamente, com movimentos suaves a pele na zona circundante ao estoma com compressas, sabão neutro e água morna de forma a retirar restos de fezes, urina ou adesivo da placa.

- Após o banho, depois de secar o corpo, secar cuidadosamente com uma compressa a região em volta do estoma.

- Observar a presença de alguma anomalia (ex.: alergia, alteração da pele) e contactar posteriormente um profissional de saúde (enfermeiro ou médico).

- Retirar o papel que protege a placa, que já deverá encontrar-se cortada conforme anteriormente descrito.

- Colar a placa ao corpo debaixo para cima, de forma a ficar bem adaptada. Não esquecer que a placa não deverá ficar colada sobre o estoma, nem com uma margem do estoma superior a 5 mm. Colar a placa do centro para a extremidade.

- Evitar deixar pregas ou bolhas de ar na placa pois estes facilitam que a placa se descole e ocorra saída de conteúdo do saco.

- Verifique que a placa se encontra bem adaptada à pele.

- Adapte o saco à placa de acordo com o descrito pelo fabricante (a descrição vem num panfleto que se encontra no interior da embalagem dos sacos).

- Retirar o ar do saco.

- Se o saco tiver uma abertura coloque um “clamp” conforme descrito pelo fabricante.


QUANDO ESVAZIAR O SACO DE OSTOMIA?

O esvaziamento do saco depende do tipo de ostomia que o individuo tem, informe-se junto de um profissional de saúde (enfermeiro ou médico).

Contudo, os dispositivos de iliostomia e urostomia deverão ser esvaziados aquando cerca de 1\3 da sua capacidade. Este esvaziamento torna-se importante para que o saco não fique pesado, o que favorece o descolamento do saco do corpo da pessoa.

Os dispositivos de colostomia deverão ser despejados sempre que necessário, normalmente uma a duas vezes por dia.


CUIDADOS A TER COM OS SACOS /PLACAS DE OSTOMIA

- Guardar os dispositivos em local seco e fresco.

- Utilizar material adequado ao tipo de ostomia e de acordo com as orientações do enfermeiro.

- Não esquecer que o orifício da bolsa deverá estar adaptado ao tamanho do estoma da pessoa. O orifício da placa deverá ser de diâmetro 2 a 5 mm maior que o diâmetro do estoma.

- Ter atenção para que o orifício da placa fique centrada com a ostromia. Evitar que fique colada sobre o estoma.


O QUE SERÁ DIFERENTE NAS ACTIVIDADES DO QUOTIDIANO DA PESSOA?

Habitualmente uma pessoa com ostomia poderá fazer as mesmas coisas que fazia antes de a ter. Questione o profissional de saúde sobre possíveis limitações que a pessoa possa apresentar.


A PESSOA PODERÁ UTILIZAR O SACO DE OSTOMIA NO BANHO?

A pessoa não tem necessidade de substituir o saco todas as vezes que toma banho. Assim, se não existir a necessidade de mudar a placa, o saco deverá ser protegido durante o banho, através de um plástico e de uma fita adesiva impermeável. Desta forma, para além de se poupar no material, procura-se garantir uma maior durabilidade e integridade da pele na região circundante ao estoma.


O QUE VESTIR À PESSOA?

A pessoa poderá vestir a mesma roupa que usava antes. Os dispositivos presentes no mercado são na sua maioria quase imperceptíveis por debaixo da roupa.


O QUE LEVAR QUANDO SE SAI DE CASA?

- Como segurança, quando sair de casa leve sempre numa bolsa com:

- Sacos/placas de ostomia de reserva

- Sabonete neutro

- Compressas

- Uma garrafa com água limpa

- Saco de plástico para colocar o lixo


QUE CUIDADOS A TER COM A ALIMENTAÇÃO?

Informe-se junto de um profissional de saúde (nutricionista, dietista, enfermeiro, médico) se existe alguma dieta especial que a pessoa deverá fazer. Habitualmente os utentes ostomizados não têm nenhuma dieta especial e com o tempo poderão alimentar-se quase da mesma forma como se alimentavam antes de ter o estoma. Deverá experimentar um alimento de cada vez, de forma a compreender o seu efeito. Se não ocorrer nenhuma alteração, deve mantê-lo na sua dieta.

- ALIMENTOS QUE PODEM PROVOCAR DIARREIA

LEITE, KIWI, FIGOS, LARANJAS, VERDURAS, CERVEJA

- ALIMENTOS QUE PODEM PROVOCAR OBSTIPAÇÃO (PRISÃO DE VENTRE)

BATATA, BANANA, FRUTOS SECOS, ARROZ

- ALIMENTOS QUE DÃO CHEIROS MUITO INTENSOS ÀS FEZES/GASES

OVOS, CEBOLA, COUVE LOMBARDA, FEIJÃO EM GRANDES QUANTIDADES, CASTANHAS

- ALIMENTOS ABSORVENTES DE CHEIROS DAS FEZES/GASES

IOGURTE, SALSA

ALIMENTOS QUE PODEM IRRITAR O ESTOMA

SUMOS DE FRUTAS ÁCIDAS, CONDIMENTOS FORTES

Esquema exemplificativo


O segredo é tentar combinar o consumo destes alimentos de forma a diminuir o desconforto da pessoa. Se tiver dificuldade nesta tarefa, informe-se junto de um profissional de saúde.


ALGUMAS COMPLICAÇÕES QUE PODERÃO OCORRER

- Dor, calor, vermelhão e inchaço na região do estoma.

- Diminuição do diâmetro do estoma.

- Obstrução do estoma. Nesta situação colocar a pessoa de cócoras e massajar a área abaixo do estoma. Se não conseguir resolver desta forma a situação, contactar um profissional de saúde.

- Diarreia acompanhada de náuseas e vómitos, ou diarreia persistente.

- Alteração da pele e presença de feridas.

No caso de ocorrerem estas ou outras alterações contactar um profissional de saúde (médico ou enfermeiro).


Importante: Os procedimentos e ensinos acima descritos não dispensam a orientação por um profissional de saúde (enfermeiro, médico). Em caso de qualquer dúvida não hesite em contactá-lo.

counter to iweb

SACO DE 2 PEÇAS

SACO DE 1 PEÇA

Cuidados à pessoa com ostomia

CUIDADOS DE HIGIENE |Cuidados-de-higiene.html
POSICIONAMENTOS |Posicionamentos.html
PREVENÇÃO |Prevencao.html
PROBLEMAS DE SAÚDE |Problemas-de-saude.html
ALIMENTAÇÃOAlimentacao.html
CONTACTOContacto.html
MAPA DO SITE  |mapa-do-site.html
INÍCIO  |Portal-do-Cuidador.html